skip to Main Content

Nota de Esclarecimento e Pedido de Retificação

Na nota de conjuntura n° 2 (jul/2017) do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (CECON) do Instituto de Economia da Unicamp, os autores afirmam o seguinte: "O setor de serviços representa 73,3% do PIB e estagnou no primeiro trimestre depois de quedas sucessivas. Não há, contudo, como saber se o resultado de 0% para serviços é o início de sua recuperação, pois o próprio sindicato do IBGE sugeriu que o ex-presidente do órgão, Paulo Rabello de Castro, teria acelerado a mudança metodológica da série antiga de serviços, provocando descontinuidade abrupta para fins de propaganda do governo Temer. O problema é que a base de cálculo da antiga série de serviços é diferente e inferior à base da nova metodologia de pesquisa (p. 3 - grifo nosso). A proposta do CECON de socializar análises de conjuntura econômica é alvissareira e tem sido de fundamental importância. Prova disso é a qualidade das duas primeiras edições em fomentar o debate sobre o futuro da economia e da política nacionais. Contudo, a fim de evitar quaisquer mal-entendidos, cumpre-nos afirmar que: a) em decorrência do debate gerado por conta das alterações metodológicas da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) e da Pesquisa Mensal do…

Read More

RELATÓRIO ASSIBGE – NOVEMBRO 2016

ASSIBGE – SINDICATO NACIONAL Dos Trabalhadores em Fundações Públicas Federais de Geografia e Estatística Av. Presidente Wilson, 210 – 8º andar - Centro (RJ) Cep: 20.030-021 Tel: (21) 3575 - 5757 fax: (21) 3575 - 5766 Pagina: www.assibge.org e-mail: [email protected] RELATÓRIO DAS AÇÕES JURÍDICAS DO ASSIBGE - SN 3,17% (PROC. 2000.5101003299-8 – 28ª VARA FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO) Execuções individuais em andamento. GDACT APOSENTADOS (PROC. MS 2000.34.00.026690-8 – 4ª VARA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA) O Tribunal Regional Federal da 1º Região manteve a sentença que determina ao IBGE que pague os atrasados da GDACT do período em que a mesma foi instituída em 2000, até a edição da Lei n.º 11.355/2006. O IBGE já recorreu no sentido de prequestionar a matéria objeto do julgado, para levá-la ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça. Após o julgamento dos recursos do IBGE, e, tendo em vista que a matéria já é de conhecimento dos Tribunais, que já julgaram favoravelmente aos servidores, o Sindicato dará início à execução, que se processará coletivamente. É importante lembrar que em recente julgamento, o Supremo Tribunal Federal determinou que o interregno da vigência da regra da paridade em relação…

Read More
Back To Top
Pesquisar